domingo, 11 de janeiro de 2009

O FED como ele é... O engodo do papel pintado


O FED como ele é... O engodo do papel pintado

Teus antepassados lutaram por liberdade - porque esta é a história da raça humana. Teus avós trabalharam para que teus pais pudessem estudar, e ter uma vida melhor, mais livre e digna. E teus pais fizeram o mesmo por ti.

Trabalharíeis impassivelmente de graça, se soubesses que nenhum patrimônio estarias construindo para si e sua família?

Aceitaríeis tranqüilamente que suas economias, fruto de seu trabalho e longa vida de dedicação, na sua velhice de nada valessem porque depositastes o fruto de sua vida laborial a um grupo de banqueiros estelionatários? Farias um pacto com eles, se conhecesses anteriormente os interesses e planos daqueles que controlam o fluxo de dinheiro? Repactuarias teus direitos, se levasses em consideração que também estarias negando a seus filhos estes direitos? E não são os direitos que diferenciam escravos de empregados?

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."
(João, 8:31)


No anexo, a íntegra do artigo, longo mas necessário. Explica a grande "mágica" que um pequeno grupo de homens astutos e sem escrúpulos usam para dominar o mundo. Uma pequena elite que escraviza-nos a todos que trabalhamos para receber como pagamento um mísero papel pintado, AO QUAL MUITOS DE NÓS IDOLATRAM.


Extraído do texto:

Estes créditos são literalmente criados a partir do nada. Os bancos que recebem os créditos podem usá-los como reservas que lhes permitem conceder empréstimos até 10 vezes esse valor (se a reserva obrigatória deles for de 10%) através da magia (que só os bancos possuem)

Fez dos banqueiros homens mais ricos, das pessoas comuns pessoas mais pobres e do público pessoas ignorantes acerca de como foram enganadas.

Que negócio, e é tudo legal! Imaginem quão ricos todos poderíamos estar se como indivíduos privados pudéssemos fazer o mesmo. Pedir um milhão emprestado ao Federal e, como que por magia, ele tornar-se 10 vezes mais, e podermos cobrar juros em tudo isso excepto os 10% iniciais que temos de manter em reserva. É esta a magia da criação de dinheiro da banca de reserva fraccionária e explica quão poderoso é o estimulo económico quando o Fed quer aumentar o crescimento económico.

Barão M.A. Rothschild compreendera um dia ao dizer "dêem-me o controle sobre a moeda de um país e não me interessará mais quem faz as suas leis". Eles também compreendiam a sabedoria do que está inscrito em Provérbios 22:7: "Os ricos reinam sobre os pobres, e o que pede emprestado é o servo de quem empresta."

A maioria das pessoas pouco ou nada sabem acerca de dinheiro e banca, talvez nunca sequer venham a pensar no assunto, e não fazem ideia do modo como o Fed e os banqueiros influenciam as suas vidas. Antes de escrever este artigo eu tinha pouco mais que um modesto conhecimento que aprendi no decorrer de um curso sobre esta matéria e contabilidade básica, partes integrantes do MBA [2] que tirei há 46 anos. Esses cursos omitiram os capítulos mais importantes da história e nunca deram a entender a natureza sinistra do real funcionamento do sistema bancário. Ninguém deverá supor por um momento que os bancos foram instituídos ou pensados para funcionarem em nosso benefício. Não foram com certeza e alguém que pretenda o contrário deverá continuar a ler. São tão benéficos para o bem estar público como foi o MX Peacekeeper [3] ICBM (a escolha de palavras é de se lhe tirar o chapéu) construído em meados da década de 80 para transportar ogivas nucleares e que tinha a modesta capacidade destruir toda e qualquer forma de vida no planeta, e um dia ainda poderá fazê-lo.

E eis-nos no cerne da questão: o Congresso que foi eleito para servir o povo, traiu-o ao criar uma coligação bancária todo-poderosa com o poder legal de praticar banca de reserva fraccionária, ganhando dinheiro criado a partir do nada. Permitiu então aos seus membros o direito monopolista de ditar as taxas de juro que querem, cobradas aos que contraem empréstimos. Todo o processo equivale a um roubo legalmente sancionado perpetrado pelos bancos poderosos que se aliam ao governo para seu próprio proveito. É também parte de um extenso processo coordenado pelo governo de transferir riqueza da população para os bolsos dos ricos e de grandes corporações, fazendo-o sem que os prejudicados tenham noção disso.

O povo dos EUA ficaria ainda mais preocupado se viesse a saber que alguns dos proprietários da Reserva Federal são poderosos investidores estrangeiros do Reino Unido, França, Alemanha, Holanda e Itália. Eles são parceiros de gigantescos bancos dos EUA como o JP Morgan Chase e o Citibank, bem como de poderosas firmas de Wall Street como Goldman Sachs, todos juntos na coligação bancária da nova ordem mundial, que influencia e altera a actividade de negócios em todo e qualquer lado, bem como as nossas vidas.

Ao longo da História dos EUA houve sempre desacordo acerca de quem deveria controlar o poder da oferta monetária e o direito de emitir. Os Pais Fundadores dos EUA entenderam que o Parlamento Britânico fora forçado a cobrar impostos injustos às colónias e aos seus próprios cidadãos porque o Banco da Inglaterra acumulara demasiada dívida e o governo precisava de receitas para a reduzi-la. Benjamin Franklin acreditava mesmo que essa era a verdadeira causa da Revolução Americana. Muitos dos Fundadores também se apercebiam do perigo que advinha da acumulação excessiva de riqueza e poder por parte da banca. James Madison, o principal autor da Constituição dos EUA, chamou-lhes "cambistas" referindo-se à passagem da Bíblia que descreve como Jesus por duas vezes expulsou os cambistas e vendilhões do templo de Jerusalém há cerca de 2000 anos atrás. Madison disse:

"A História regista como os cambistas têm usado de toda e qualquer forma de abuso, intriga, embuste e violência possíveis para manter o controlo sobre os governos ao supervisionar o dinheiro e a sua cunhagem".

Thomas Jefferson foi igualmente forte na sua condenação ao dizer:

"Acredito sinceramente que as instituições bancárias são mais perigosas para a nossa liberdade que exércitos permanentes. Edificaram já uma aristocracia monetária que se posicionou em desafio ao governo. O poder de emissão deve ser retirado aos bancos e devolvido à população a quem verdadeiramente pertence."

Em 1886 Lincoln disse o seguinte: "O dinheiro rapina a nação em tempos de paz e conspira contra ela em tempos adversos. É mais déspota que a monarquia, mais insolente que a autocracia e mais egoísta que a burocracia. Denuncia como inimigos públicos todos os que questionem os seus métodos ou alumiem os seus crimes. Eu tenho dois grandes inimigos, o Exército Sulista à minha frente e os banqueiros atrás de mim. Dos dois o meu pior inimigo é o que está às minhas costas."

Os banqueiros internacionais tinham claramente Lincoln em baixa estima, depois de ele ter conseguido que o Congresso homologasse em 1862 o decreto "Legal Tender" [4] que dava à tesouraria dos EUA o poder de emitir dinheiro em papel chamado "greenbacks". [5] Lincoln precisava desta lei depois de se ter negado a pagar os exorbitantes 24 a 36% de juros que os banqueiros pediam sobre os empréstimos de que Lincoln necessitava para financiar a guerra com o Sul. Com a nova lei, Lincoln podia então imprimir os milhões de dólares de que precisava sendo estes livres de dívida e juros.

.

__,_._,___
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário: